Antigas, invencíveis e indesejadas: as baratas domésticas

Construção em geral, Arquitetura, Engenharia, supply
lelure
Altruísta
Altruísta
Mensagens: 67
Registrado em: 02 Ago 2006, 00:29
Registro Profissional: 065005
Cidade: Nova Friburgo
UF: RJ
Localização: Nova Friburgo
Contato:

Antigas, invencíveis e indesejadas: as baratas domésticas

Mensagem por lelure » 13 Mai 2008, 22:04

Antigas, invencíveis e indesejadas: as baratas domésticas

Há quem as tema, ache-as repugnantes e perigosas. Todos têm um motivo para desejar distância de baratas, um inseto que produz resistência a diversos métodos de extermínio. Assim sendo, mantê-las distantes é uma estratégia eficaz.

As baratas são os mais antigos seres vivos do planeta, existindo há mais de 300 milhões de anos. Adaptam-se às mais variadas condições do meio ambiente, podem permanecer durante semanas sem água ou alimento e transmitem ao ser humano doenças como cólera, tifo, difteria, toxoplasmose, gastrenterite, hepatite, alergias e outras, contaminando alimentos com o contato de seu corpo ou através de sua saliva ou excrementos. Das 4 mil espécies existentes, duas são as habituais invasoras de ambientes prediais: a Blatella germânica - espécie de tamanho pequeno, de cor castanho amarelado, também conhecida como barata alemã, tendo tempo de vida de 6 a 8 semanas e infestam especialmente as áreas de cozinhas; e a Periplaneta americana - de cor castanho escuro, tem comprimento de 30 a 40 mm, possuem longas asas, podendo voar a curtas distâncias. Proliferam-se principalmente na rede de esgotos.

Os inseticidas utilizados no controle de baratas como os pós-secos, formulações para pulverizações residuais e aerossóis são eficientes (para infestações pequenas e localizadas) e práticos de serem usados, causando uma morte rápida. Apesar destas características, em geral, esses produtos não se mostram eficientes, devido à má qualidade da aplicação, pelos produtos terem uma formulação e dosagens incorretas, da utilização em momentos inadequados (alta densidade populacional), condições climáticas inadequadas e pela evolução da resistência. Como conseqüência da resistência, ocorre uma maior freqüência de aplicações, aumento da dosagem utilizada, substituições por outros produtos (em média, uma classe de inseticidas é perdida a cada 10 anos), aumento da contaminação do meio ambiente, eliminação de organismos benéficos e na elevação dos custos.

MÉTODOS DE PREVENÇÃO

As seguintes recomendações propiciam um controle preventivo das baratas ou a diminuição da infestação, no caso de já se encontrarem no condomínio: para a erradicação de baratas em uma grande área, é necessária a aplicação de várias medidas simultaneamente, como cobrir todo o local. Se um determinado compartimento não foi tratado, o trabalho feito não surtirá o efeito desejado. Para isso, é imprescindível a participação e colaboração de moradores, caso haja, por exemplo, entulhos e móveis velhos em depósitos.

De imediato, é preciso verificar os locais onde há acúmulo de lixo, recolhendo-o ou fechando-o hermeticamente e eliminar os esconderijos, rebocando-se frestas e outras fendas com silicone para evitar o alojamento, assim como o descarte total de todas as embalagens de papelão. Os locais que as baratas se alojam, preferencialmente nos prédios são nos conduítes elétricos, na canalização de águas pluviais, caixas de papelão ou de madeira usadas para o transporte de alimentos (insetos adultos ou seus ovos são disseminados desta maneira). Vestiários devem ser inspecionados também.

Assim, as lixeiras devem ser limpas semanalmente, mantendo-a seca e fechada, e os ralos, injetando desinfetante apropriado e devem estar sempre tampados. As caixas de gordura e esgoto devem passar por tratamento com relativa periodicidade (há casos, em que o procedimento de limpeza deve ser quinzenalmente). Os interruptores de luz e as saídas de telefone devem estar justas e deve ser efetuada a troca os espelhos de tomadas ou interruptores quebrados.

INSPEÇÃO

Uma outra maneira de evitar o aparecimento de baratas é adotar uma inspeção periódica do ambiente, a ser efetuada seguindo-se as recomendações: procurar os possíveis “habitat” das baratas, perto das fontes de calor e abrigos como motores, estufas e outros maquinários, locais com pouca ou nenhuma luminosidade; examinar armários, gabinetes, guarnições de portas, prateleiras, quadros de energia elétrica, forros. A utilização de armadilhas de captura (cola) pode ser utilizada para indicar o nível de infestação no local.

Fonte: Jornal do Síndico

Responder

Voltar para “Construção e Reforma”

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante